print article
For optimal print results, please use Internet Explorer, Chrome or Safari.

Convulsões febris (Convulsões causadas por febre)

Febrile Seizures (Convulsions Caused by Fever) (Portuguese)

Ao ter uma convulsão, o seu filho reagiu fortemente a uma febre. Apesar das convulsões assustarem os pais, normalmente não são nocivas para a criança. Esta informação explica o que há a fazer se a criança tiver uma convulsão febril.

O que são convulsões febris?

As convulsões são movimentos descoordenados, curtos e súbitos dos músculos. Quando são causadas por febre, chamam-se convulsões febris.

O que fazer se a criança tiver uma convulsão febril

Se o seu filho tiver uma convulsão, permaneça calmo e tome as seguintes medidas:

  1. Afaste a criança das fontes de perigo retirando objectos cortantes ou pesados que se encontrem por perto.
    Get Adobe Flash player
  2. Não pegue na criança ao contrário nem tente interromper-lhe os movimentos. Se puder, com cuidado, rode o corpo da criança de modo a ficar de lado ou rode-lhe a cabeça para o lado para que os líquidos possam sair da boca.
  3. Proporcione conforto à criança. Tente colocar-lhe algo macio por debaixo da cabeça, como um casaco dobrado. Retire-lhe a roupa apertada, sobretudo em redor do pescoço. Retire-lhe também os óculos para não se partirem.
  4. Não tente colocar nada dentro da boca da criança, dado que poderá engasgar-se ou partir algum dente.
  5. O médico da criança irá perguntar quanto tempo demorou a convulsão. Se puder, olhe para um relógio e verifique quando começa e acaba a convulsão.
  6. Se a convulsão demorar menos de cinco minutos, leve imediatamente a criança ao consultório do médico ou a uma clínica. Se, nem um nem outro estiverem abertos, leve a criança ao serviço de urgência de um hospital. O médico precisa de confirmar se a criança não tem nenhuma doença grave.
    Get Adobe Flash player
  7. Se a convulsão demorar mais de cinco minutos, chame imediatamente uma ambulância. A criança poderá precisar de mais assistência do que aquela que o médico lhe poderá dar no seu consultório.

O que acontece após a convulsão

Por vezes, as crianças ficam confusas ou sonolentas após uma convulsão e precisam de dormir por algum tempo. Não espere até a criança voltar ao normal para procurar assistência médica. Não dê água, comida nem medicamentos à criança até a convulsão ter passado e ela estar bem alerta.

O que acontece no consultório do médico ou no hospital

O médico pedirá aos pais para descreverem minuciosamente a convulsão, inclusivamente o tempo que demorou a passar, qual o aspecto da criança e como ela se movimentava. Os pais poderão ajudar o médico se lhe explicarem que os tremores cessavam quando seguravam ou pressionavam brandamente a parte do corpo da criança que tremia ou se os movimentos descoordenados persistiam.

O médico examinará a criança. Se se conhecer a causa da febre e a criança não estiver confusa nem inconsciente, normalmente o médico não requisita análises laboratoriais. Todavia, se suspeitar que há algo de errado, poderá solicitar alguns exames, os quais virão ajudar a excluir quaisquer outras causas para as convulsões.

Se a criança teve uma convulsão febril vulgar, provavelmente não precisará de ficar no hospital.

Tratamento da febre da criança

A febre pode ser causada praticamente por qualquer infecção ou doença própria da infância. Muitas vezes, as convulsões acontecem logo que a temperatura da criança começa a subir. É possível que os pais nem saibam que a criança tem febre. Tratar a febre da criança com medicamentos não irá necessariamente evitar uma convulsão ou reduzir a sua duração, embora possam ajudar a criança a sentir-se mais confortada.

Não tente dar à criança medicamentos para a febre enquanto ela tiver a convulsão. Aguarde até a convulsão acabar. Não coloque a criança na banheira.

Medição da temperatura da criança

Se a criança estiver morna, verifique-lhe a temperatura com um termómetro. A leitura normal é 37,5°C (99,5°F), quando a medição é oral, ou 38°C (100,4°F) quando a medição é rectal.

Medicamentos

Dê à criança acetaminofeno (Tylenol, Tempra, Panadol) ou ibuprofeno (Advil, Motrin, Brufen) para a febre. Leia com atenção as instruções na embalagem dos medicamentos para saber qual a quantidade e o número de vezes que devem ser tomados. Se tiver dúvidas, confirme com o médico ou o farmacêutico. Não dê à criança medicamentos com ASA (ácido acetilsalicílico ou Aspirina), excepto se for indicado pelo médico.

Roupa

Mantenha a criança vestida com roupas leves e retire roupas pesadas da cama.

Para mais informação, leia o título "Febre."

As convulsões febris são frequentes

Cerca de cinco em 100 crianças dos seis meses aos seis anos terão, no mínimo, uma convulsão febril. Cerca de três em dez dessas crianças terão mais de uma convulsão febril.

Existe uma forte componente genética associada às convulsões febris. É frequente acontecer que os pais de uma criança que tem convulsões febris também já as tiveram e os irmãos também têm tendência a tê-las.

As convulsões febris não causam lesões cerebrais

O aspecto de uma criança durante uma convulsão febril pode ser bastante assustador para os pais. Todavia, tanto quanto sabemos, as convulsões breves não lesionam nem causam alterações permanentes no cérebro. A maioria das convulsões febris ocorre apenas durante alguns minutos, apesar de parecerem durar muito mais. Mesmo que a criança tenha uma convulsão febril longa, o risco de causar lesões no cérebro é baixo.

Medicamentos que evitam as convulsões febris

Há medicamentos (anti-convulsionantes ou anti-epilépticos) que podem evitar as convulsões febris. Tais medicamentos têm efeitos secundários e, normalmente, as crianças que têm convulsões febris não precisam de os tomar. Contudo, poderá haver circunstâncias especiais em que o médico da criança considera que é necessário receitar um medicamento anti-convulsionante.

Se a criança tiver convulsões febris com frequência, o médico poderá prescrever um medicamento anti-convulsionante de acção rápida. O médico explicará como cuidar da criança e quando procurar assistência médica.

Não é necessário tratar a criança de forma especial

Todas as crianças adoecem por momentos, sobretudo as crianças jovens. Acontece que o seu filho reage à febre de uma forma drástica. Trate e proteja o seu filho da mesma maneira que qualquer outra criança normal e saudável. Não esqueça que a febre e as convulsões podem começar subitamente. Se a criança tiver menos de cinco anos de idade, procure estar próximo enquanto ela toma banho. Não deixe a criança sozinha dentro da banheira.

As convulsões febris desaparecem normalmente por si quando a criança é mais velha

As convulsões febris não significam necessariamente que a criança terá epilepsia mais tarde. Menos de cinco em cada 100 crianças com convulsões febris acabam por ter epilepsia, a qual é um problema de saúde assinalado por convulsões sucessivas sem febre.

Pontos principais

  • As convulsões febris são crises de movimentos súbitos e descoordenados, causadas pela febre e frequentes em crianças entre os seis meses e os seis anos de idade.
  • Durante uma convulsão febril, conforte a criança e não tente introduzir-lhe nada na boca. Tente rodar-lhe o corpo ou a cabeça para o lado.
  • Depois de uma convulsão febril, leve a criança ao médico. Se a convulsão durar mais de cinco minutos, chame uma ambulância.
  • Tratar a febre da criança com medicamentos não evitará necessariamente as convulsões.
  • Se tiver problemas ou questões a apresentar, contacte o médico da criança.

Bruce Minnes, BSc, MD, FRCPC, ABPEM

Trent Mizzi, MD, BSc, FRCPC

10/16/2009
.




Notes: