print article
For optimal print results, please use Internet Explorer, Chrome or Safari.

Febre

Fever (Portuguese)

A temperatura normal do corpo é de 37°C (98,6°F), embora possa oscilar ligeiramente ao longo do dia. Se a temperatura do seu filho for superior ao normal, então tem febre.

Normalmente, a febre é um sinal de que o organismo está a combater uma infecção. Quando o sistema de defesa (imunitário) do organismo é activado por um micróbio, ocorrem muitas reacções no interior do corpo. A febre constitui um sinal de tais reacções, não sendo uma doença em si.

Medição da temperatuta do corpo

Quando têm febre, as crianças muitas vezes estão mornas ao toque. Para confirmar se a criança tem febre, use um termómetro e meça-lhe a temperatura do corpo.

Temperatura oral
Get Adobe Flash player

  • Nos bebés, a maneira mais precisa de medir a temperatura é introduzir o termómetro no ânus (temperatura rectal). Se a temperatura for superior a 38°C (100,4°F), significa que a criança tem febre.
  • Nas crianças mais velhas, a temperatura pode ser medida na boca (temperatura oral). Se a temperatura for superior a 37,5°C (99,5°F), significa que a criança tem febre.

Outros métodos de medição da temperatura também poderão ser úteis, embora a medição possa ser menos precisa. Alguns exemplos:

Get Adobe Flash player

  • introdução do termómetro no sovaco (temperatura axilar): se a temperatura for superior a 37,2°C (99°F), significa que a criança tem febre
  • introdução do termómetro no ouvido (temperatura timpânica): se a temperatura for superior a 38°C (100,4°F), significa que a criança tem febre

Quais as causas da febre?

A febre pode ser causada por muitos tipos de infecções. Para descobrir o que está a causar a febre na criança, o médico analisará outros sinais ou sintomas da doença, não a febre em si. Por muito alta que seja a febre, não ajuda o médico a decidir se a infecção é ligeira ou grave, ou se tem origem em alguma doença bacteriana ou viral.

A febre pode também ser causada por outras situações:

  • A prática de exercício, excesso de roupa vestida, um banho quente de chuveiro ou de imersão ou o tempo quente poderão originar um ligeiro aumento da temperatura corporal.
  • Raramente, um golpe de calor ou a ingestão de determinados medicamentos ou drogas causam um aumento acentuado e, eventualmente, perigoso da temperatura corporal.
  • As vacinas podem causar febre.
  • Algumas doenças não infecciosas e outras doenças crónicas poderão causar febre persistente.

Muitas pessoas acreditam que a dentição causa febre. Em materiais já publicados indica-se que a dentição não causa febre ou pode estar apenas ligeiramente associada a uma febre muito ligeira. Certamente que a dentição não causa febre alta.

Se o médico do seu filho lhe explicou a causa da febre na criança, então escreva isso aqui:

 

O que acontece quando a criança tem febre

A febre pode deixar as crianças incomodadas. Normalmente, tais sintomas são ligeiros e a criança pode ficar um pouco rabugenta ou ter dores. Algumas crianças ficam menos activas e mais sonolentas. Por vezes, a febre poderá estar associada a tremores (arrepios de frio ou calafrios), à medida que a temperatura corporal vai mudando. Esse tipo de tremores é uma forma de o corpo tentar regular a temperatura. Não se trata de nenhuma convulsão, nem está associada a alterações no nível de consciência da criança.

Cerca de 5% das crianças entre os seis meses e os seis anos de vida poderão ter uma crise de tremores, denominada convulsão, associada à febre. Chamam-se convulsões febris. Embora, de modo geral, estas não sejam perigosas, a criança deverá ser consultada por um médico após uma convulsão febril. Geralmente, as convulsões febris não causam lesão cerebral.

Para mais informação, consulte o título “Convulsões febris”.

A frequência com que a febre reaparece e a sua duração depende principalmente do tipo de infecção que a causa. A maior parte das febres com vírus duram cerca de dois a três dias, embora por vezes possam demorar até duas semanas a passar. Quando a febre é causada por uma infecção bacteriana, poderá continuar até a criança ser tratada com antibiótico.

Cuidar da criança com febre

Roupa

Mantenha a criança vestida com roupas ligeiras. A maior parte do calor do corpo perde-se através da pele. Por conseguinte, vestir demasiadas roupas ou agasalhar excessivamente a criança poderá aumentar a febre e deixá-la mais incomodada. Se a criança tiver arrepios ou tremores, dê-lhe um cobertor leve. Mantenha a temperatura ambiente a um nível que seja acolhedora para si, quando tiver roupas leves.

Mais líquidos

A febre originará uma perda ligeira de líquidos do organismo. Por isso, incentive a criança a beber mais líquidos. A água ou bebidas frias poderão ajudar, embora na realidade não é importante que as bebidas sejam quentes ou frias.

Aplicação de esponja húmida

Geralmente, a aplicação de uma esponja húmida é desnecessária para ajudar a baixar a temperatura corporal, podendo contribuir para incomodar mais a criança. Este tipo de aplicação poderá somente arrefecer o exterior do corpo da criança e causar-lhe arrepios, sem realmente afectar a temperatura no interior do corpo. Utilize aquele tipo de procedimento apenas nas situações seguintes:

  • se ajudar a criança a sentir-se mais confortada
  • em situações de emergência, como uma vaga de calor ou febre superior a 42°C (108°F)

Medicamentos

Os medicamentos podem ajudar a baixar a febre em apenas 1°C a 2°C (2°F a 3°F), sendo até possível que a temperatura não chegue ao nível normal. Dado que a febre é cíclica e sobe e desce por si, nem sempre é fácil afirmar que a febre baixou devido a algum medicamento ou à natureza da situação febril. Se a criança estiver a dormir bem, não é necessário acordá-la para lhe dar os medicamentos.

Os dois tipos de medicamentos que são normalmente recomendados para controlar a febre são os seguintes:

  • acetaminofeno (Tylenol, Tempra, Abenol, farmácia e outras marcas)
  • ibuprofeno (Advil, Motrin, Brufen, farmácia e outras marcas)

Ambos são apresentados sob a forma de comprimidos, cápsulas e líquido com diversas intensidades. O acetaminofeno também existe em supositórios.

O médico ou o farmacêutico poderá ajudar a decidir quanto à formulação e composição mais correctas para a criança. A dosagem correcta para uma criança baseia-se no seu peso. Na embalagem do medicamento indica-se normalmente um cálculo da dose.

Tais medicamentos são tomados para ajudar a controlar a febre e para deixar a criança mais confortada, embora não tratem a causa subjacente da febre.

Se o bebé tiver menos de três meses, não lhe dê medicamentos para a febre, excepto se for indicado pelo médico.

O acetaminofeno e o ibuprofeno não reagem um com o outro, sendo ambos eficazes em baixar a temperatura. Em ocasiões diferentes, poderá parecer que um funciona melhor do que o outro, nenhum funciona ou que ambos funcionam.

Se a criança já tiver algum problema de saúde ou já estiver a tomar outros medicamentos, confirme com o médico se o acetaminofeno e o ibuprofeno são seguros para o seu filho.

Não dar ASA (Aspirina) à criança para tratamento da febre

Embora raro, o ASA (ácido acetilsalicílico) tem estado associado a um problema grave chamado síndrome de Reye. Não dê ASA à criança para controlar a febre, excepto se tiver sido especificamente indicado pelo médico. Será necessário verificar o rótulo de outros medicamentos ou perguntar ao farmacêutico a fim de se certificar que não contêm ASA.

Quando contactar o médico da criança

Contacte imediatamente o médico do seu filho ou dirija-se a uma clínica ou ao serviço de urgência se:

  • o seu filho tiver menos de três meses
  • chegou recentemente de uma viagem ao estrangeiro
  • a febre ultrapassar 40°C (104°F)
  • a criança ficar com erupção cutânea com pequenos pontos roxos que não desaparecem quando se aplica alguma pressão com os dedos (branqueamento)
  • a criança não conseguir manter nenhuns líquidos no estômago e aparentar estar desidratada
  • a pele do seu filho estiver muito pálida ou cinzenta, fria ou com aspecto marmoreado
  • a criança tiver dores constantes
  • a criança estiver letárgica (muito fraca) ou com dificuldade em acordar
  • a criança tiver rigidez no pescoço
  • a criança tiver alguma convulsão associada com a febre
  • a criança parecer estar muito doente, ou agir como tal
  • a criança parecer estar constantemente confusa ou delirante
  • a criança não usar um dos braços ou pernas ou recusar ficar de pé ou colocar algum peso sobre as pernas
  • a criança tiver problemas respiratórios
  • a criança chorar constantemente e não conseguir estabilizar

Ligue no período de 24 horas se:

  • a criança tiver entre três a seis meses de idade
  • a criança apresentar uma dor pontual, designadamente no ouvido ou na garganta, e que precise de ser analisada
  • a criança tiver febre durante mais de três dias
  • a febre desapareceu por mais de 24 horas para depois voltar novamente
  • a criança tiver uma infecção bacteriana que está a ser tratada com antibiótico, embora a febre não desapareça dois ou três dias após o início do tratamento com antibiótico
  • a criança chorar quando vai à casa de banho
  • a urina da criança cheirar mal
  • os pais tiverem outras preocupações ou questões

Febre: Mitos e factos

Há muitos mitos acerca da febre, alguns dos quais poderão deixar os pais desnecessariamente preocupados. Se o seu filho tiver febre, o mais importante será o seu aspecto e comportamento.

Mito: É útil que a temperatura tenha uma graduação exacta

Facto: A graduação exacta poderá ser útil quando está em causa a assistência a bebés muito pequenos ou crianças com determinados problemas de saúde crónicos. Todavia, a parte mais importante em avaliar uma criança com febre consiste no seu aspecto e comportamento, sobretudo após o tratamento da febre com medicamentos. Uma criança que parece bem mas cuja temperatura é elevada, for exemplo, é menos preocupante do que uma criança que tem apenas uma febre ligeira mas que parece não se sentir bem ou que não está receptiva. A febre alta poderá estar associada a algumas doenças virais menos graves, enquanto que uma temperatura anormalmente baixa pode estar associada a algumas infecções bacterianas graves.

Mito: A febre causa lesão cerebral

Facto: A maioria das febres associadas a infecções atingem menos de 42°C (108°F) e não causam lesões cerebrais. Estas somente poderão ocorrer se houver, repetidas vezes, uma temperatura corporal superior a 44°C (110°F), sendo mais provável que tais temperaturas surjam com golpes de calor ou após uma exposição a determinados medicamentos ou drogas ilícitas, designadamente anestésicos ou alguns medicamentos psiquiátricos. Não é provável que ocorram com as infecções normais das crianças.

Mito: A febre é nociva para as crianças

Facto: A febre é apenas um sinal indicador de que o sistema imunitário do organismo foi activado. A febre em si também pode ajudar a combater infecções porque muitos micróbios também não sobrevivem perante temperaturas ligeiramente mais altas. Neste aspecto, embora a criança possa sentir-se incomodada, a maioria das febres tem efeito benéfico e poderá ajudar o corpo a combater a infecção. Ajudar a criança a sentir-se melhor constitui a principal razão para tomar medicamentos para baixar a febre.

Mito: A febre deve sempre reagir a um medicamento anti-pirético

Facto: Normalmente, os medicamentos anti-piréticos ajudam a baixar a febre, embora nem sempre seja assim. Por vezes, a febre continua mesmo depois de se tomar medicamentos. Quer estes façam, ou não, efeito em baixar a febre, não existe uma relação com a gravidade da infecção.

Mito: A febre deve reagir rapidamente a um antibiótico

Facto: Os antibióticos são apenas úteis no tratamento das infecções bacterianas, não tendo qualquer efeito sobre as infecções virais. A maioria das infecções é causada por vírus. Por conseguinte, os antibióticos não têm qualquer efeito sobre elas. No caso das infecções bacterianas, o antibiótico começa a fazer efeito no combate à bactéria assim que for tomado, embora possa demorar alguns dias até a febre desaparecer.

Pontos principais

  • Normalmente, a febre é um sinal de que o corpo está a combater uma infecção.
  • A temperatura precisa da criança é menos importante do que o seu aspecto e comportamento.
  • Para manter a criança confortada, esta não deve estar vestida com roupas muito quentes, deve beber mais líquidos e tomar acetaminofeno ou ibuprofeno.

Trent Mizzi, MD, BSc, FRCPC

10/16/2009
 




Notes: