print article
For optimal print results, please use Internet Explorer, Chrome or Safari.

Inflamação da garganta (faringite)

Sore Throat (Pharyngitis) (Portuguese)

O que é a inflamação da garganta?

A inflamação da garanta acontece quando a criança se queixa de dores na garganta. A criança poderá sentir a garganta seca, irritada, dorida ou com comichão.

Diversos factores ou causas poderão contribuir para a inflamação da garanta:

  • Determinadas doenças, como a constipação ou a gripe, podem causar inflamação da garganta com frequência.
  • Por vezes, a inflamação da garganta pode ser causada quando as crianças dormem com a boca aberta e acordam com a boca seca e a garganta inflamada.
  • As crianças com secreção pós-nasal contínua poderão ficar com inflamação da garganta devido à obstrução desta ou por tossirem durante a noite.
  • Determinados vírus podem causar lesões ou inflamações na boca ou na garganta.
  • Cerca de um em cada dez casos de inflamações da garganta resultantes de infecção é causado por uma família de bactérias chamadas estreptococos, também conhecido por angina estreptocócica. Nesta família, o estreptococo beta-hemolítico do grupo A pode causar infecções mais graves e complicações. Os grupos C e G poderão também causar a angina estreptocócica, embora sem as eventuais complicações do grupo A.
  • Se as amígdalas ficarem infectadas, chama-se amigdalite. Quando tal acontece, as amígdalas ficam inflamadas, inchadas e com uma cor vermelha mais brilhante do que o normal.

Sinais e sintomas da inflamação da garganta

  • A criança poderá afirmar que a garganta ou o pescoço estão doridos.
  • A criança poderá afirmar que a garganta lhe dói quando engole, bebe ou come.
  • As crianças mais novas poderão recusar-se a comer ou beber, ingerir quantidades mais pequenas do que é habitual ou chorar quando comem ou engolem.

A criança também poderá ter outros sintomas

  • Algumas crianças poderão ter febre, tosse, secreção nasal e rouquidão.
  • Algumas crianças poderão ter náuseas, dores no estômago (barriga) e a garganta poderá ter pus e estar mais vermelha do que é habitual. Estes sintomas são mais frequentes no caso da angina estreptocócica.

Quando deverá procurar assistência médica

A criança deverá ser consultada pelo médico habitual se:

  • Tiver inflamação da garganta durante mais de 24 horas (um dia), sobretudo se for também acompanhada por febre.
  • Tem estado em contacto com alguém com angina estreptocócica.
  • Teve anteriormente angina estreptocócica.
  • Se o médico suspeitar que a criança poderá ter angina estreptocócica, poderá extrair uma amostra da garganta. Para o efeito, o médico utilizará um pauzinho com uma ponta de algodão e extrairá algum fluido das partes laterais da garganta da criança, enviando depois a amostra para um laboratório a fim de ser analisada ou para cultura laboratorial. Esta será certamente a única maneira de saber se a criança tem angina estreptocócica. Todavia, nem sempre é necessário retirar amostras da garganta em todos os casos de inflamação.
  • Se o resultado da análise à garganta revelar que a criança tem uma infecção pelo estreptococo do grupo A, o médico receitará antibióticos. Mas, se a inflamação da garganta for causada por um vírus ou tiver outra causa, os antibióticos não irão ajudar.

Para mais informação, leia a rubrica Angina estreptocócica.

Cuidar da criança em casa

A inflamação da garganta pode muitas vezes ser tratada em casa. Para reconfortar a criança, tente o seguinte:

  • Se a criança tiver problemas em engolir, dê-lhe alimentos moles que sejam fáceis de engolir.
  • Dê muitos líquidos à criança.
  • Se a criança tiver mais de um ano de idade, tente dar-lhe mel pasteurizado para amaciar a garganta e aliviar a tosse.
  • As crianças mais velhas podem tentar gargarejar com água morna salgada.

Quando a inflamação da garganta é causada por dormir com a boca aberta

  • Se a garganta estiver inflamada, dê algo a beber à criança.
  • À noite, utilize um humidificador para haver mais humidade no ar, o que ajudará a evitar as inflamações de garganta

Se o problema persistir ou estiver relacionado com o facto da criança ressonar, ter dificuldade respiratória ou sonolência excessiva durante o dia, debata a questão com o seu médico habitual durante uma consulta normal.

Inflamação da garganta causada por secreção pós-nasal contínua

  • Enxaguar as vias nasais com soro fisiológico poderá ajudar a reduzir a obstrução da garganta e a tosse.

Inflamação da garganta causada por vírus

Os antibióticos não tratam os vírus. A criança apenas requer medidas de conforto.

  • Para tratar a dor e a febre, dê acetaminofeno (Tylenol, Tempra ou outras marcas) ou ibuprofeno (Advil, Motrin ou outras marcas) à criança. Siga as instruções constantes da embalagem.
  • Se a criança tiver a garganta muito inflamada para engolir os comprimidos, opte por uma solução líquida ou supositórios.

A inflamação da garganta causada por vírus deverá desaparecer em cerca de sete dias.

Garganta inflamada causada por angina estreptocócica

A maioria dos casos de angina estreptocócica melhora no período de três a sete dias sem antibióticos.

O tratamento com antibiótico reduz o risco de transmissão da infecção a outras pessoas, assim como as complicações relacionadas com o estreptococo do grupo A.

  • Se a criança tiver angina estreptocócica do grupo A (o que terá de ser confirmado através de uma amostra retirada da garganta da criança ou por exame rápido), o médico receitará um antibiótico. O medicamento deverá ser tomado até ao fim, mesmo que a criança comece a sentir-se melhor.

A criança deverá começar a sentir-se melhor no período de três dias após o início do antibiótico.

O que não é aconselhável nos casos de inflamação da garganta

Não use atomizadores de venda livre para a garganta – não há provas de que sejam úteis nos casos de angina estreptocócica. Alguns atomizadores poderão conter determinados ingredientes (benzocaína) que podem causar reacção alérgica ou outros problemas.

Não dê pastilhas para a garganta nem rebuçados às crianças pequenas, dado que existe o perigo de sufocarem.

Não utilize restos de medicamentos dos familiares ou de pessoas amigas, dado que poderão não ser os medicamentos nem a dose correcta e serem prejudiciais à criança.

Os antibióticos ajudam a tratar a angina estreptocócica do grupo A, embora não tenham efeito sobre os vírus. Se a criança tomar antibióticos quando não precisar, poderá contribuir para que os tratamentos posteriores sejam menos eficazes ou para disfarçar outras infecções.

Evitar a propagação de micróbios

Lave as suas mãos e as da criança com frequência, o que ajudará a impedir a propagação dos micróbios.

Complicações inerentes à inflamação da garganta

As complicações são efeitos ou problemas indesejados que a criança poderá ter.

A inflamação da garganta causada por vírus, obstrução na garganta, secura ou substâncias irritantes raramente tem complicações.

As infecções da garganta que não sejam tratadas e sejam causadas pelo estreptococo do grupo A poderão originar doenças que afectam o sistema nervoso, o coração (febre reumática) ou os rins (glomerulonefrite pós-estreptocócica).

Quando deverá procurar assistência médica

Contacte o médico habitual da criança se:

  • A criança tiver uma inflamação da garganta durante mais de 24 horas, sobretudo se também for acompanhada por febre.
  • A criança tiver estado em contacto com alguém com angina estreptocócica, ou já a teve no passado.

Leve a criança ao serviço de urgência mais próximo ou, se necessário, ligue 911, se:

  • A criança tiver dificuldade respiratória.
  • A criança estiver a babar-se ou tiver muita dificuldade em engolir.
  • A criança aparentar estar muito doente.

Pontos principais

  • A inflamação da garganta pode ter muitas causas diferentes.
  • A maior parte dos casos de inflamação da garganta não requer antibióticos.
  • Leve a criança ao médico se ela tiver uma inflamação da garganta durante mais de 24 horas, ou se ela tiver angina estreptocócica.
  • Para ajudar a criança a sentir-se mais confortável, deve dar-se-lhe muitos líquidos, alimentos moles e medicamentos como o acetaminofeno ou o ibuprofeno, se for necessário.

Janine A. Flanagan, HBArtsSc, MD, FRCPC

10/16/2009




Notes: